Foto: BCPereira

A MUBi lamenta a visão retrógrada e a falta de rigor exposta pelo PSD Lisboa no vídeo ontem publicado. Pela mesma razão que as primeiras estradas tinham muitas bicicletas e poucos carros, e levou décadas a inverter essa situação, só o tempo e alguma coragem política levarão a que cultura de insegurança seja ultrapassada e o estatuto da bicicleta seja de novo potenciado.

A utilização da bicicleta em Lisboa era, há 10 anos, praticamente nula e vista como algo bizarro. Hoje, em alguns minutos, facilmente se observam na rua várias bicicletas a circular. Utilizar a bicicleta está a tornar-se comum, mais seguro, e o seu crescimento irá prosseguir.

A MUBi apela ao PSD Lisboa e a todas as forças partidárias que despolitizem a crescente utilização da bicicleta, encarando-a como um facto consensual cuja única discussão política se deverá centrar na forma mais eficaz de fazer com que esse crescimento ocorra mais rapidamente e continue a favorecer a mobilidade, a qualidade de vida e a economia das nossas cidades.

10 Responses to Um exemplo a não seguir

  1. diz:

    Esta oposição ao uso da bicicleta nas ruas de Lisboa é apenas falta de esclarecimento, quer no que respeita às possibilidades tecnicas das bicicletas actuais, quer às possibilidades de utilização do transito nas ruas de Lisboa pelos ciclistas. Por outro, lado esta cítica feita pelo PSDLisboa deveria ser substituida por outra à CML: por não ter incluido nas recentes obras maior nº de parques de estacionamento e muito mais transporte publico aí implicito.

    • LUIS B. diz:

      Pode explicar melhor o que são as “possibilidades tecnicas das bicicletas actuais” e a “utilização do transito nas ruas de Lisboa pelos ciclistas”? Outra dúvida que o seu comentário me suscita é a sugestão de se criarem mais parques de estacionamento (suponho que se refere a estacionamento para veículos automóveis). Ora isso não teria exactamente um efeito perverso? Ou seja, não seria um incentivo à entrada e circulação de ainda mais carros na cidade?

  2. LUIS B. diz:

    O que me parece que o vídeo e o texto do PSD-Lisboa mostram, não é uma má vontade para com os ciclistas – não me parece que o partido tenha gente assim tão imbecil – mas sim uma atitude tipicamente arrivista: tentar chegar por qualquer meio onde democraticamente não conseguem. Para atacar o adversário político vale tudo, mesmo que recorrendo ao truque fácil, escolhendo a dedo os locais e horários mais convenientes para demonstrar a ‘tese’ da inutilidade das ciclovias.
    Quanto à questão dos transportes públicos, deveríamos de facto fazer mais, ter já feito muito mais. Um bom começo para estimular o uso da bicicleta é tirar carros das ruas. Isso diminui a relutância e o receio de ter de se pedalar por entre os carros, ou de sermos abalroados ou entalados por eles. E tirar carros das ruas não se faz apenas com apelos ao civismo. Faz-se sobretudo oferecendo boas alternativas de colectivos; quanto mais frequentes, confortáveis e não poluentes forem, menos carros particulares vão circular pela cidade, porque simplesmente usar os colectivos é mais cómodo e barato. E quantas mais pessoas se habituarem a dispensar o carro, mais condições estão criadas para haver suficiente acalmia no trânsito para nos ‘atrevermos’ a usar a bicicleta (os que têm condições físicas e logísticas para isso, claro).
    Talvez estejamos a “pôr as ciclovias à frente das bicicletas”, mas à medida que os transportes colectivos forem melhorando, pelo menos há uma infraestrutura já construída, melhorável obviamente, mas que permite desde já duas coisas: ir habituando os automobilistas a ver e respeitar no dia-a-dia os espaços destinados a ciclistas e mentalizarem-se que a via pública é de todos e não um espaço onde quem manda são os mais pesados e mais velozes.

  3. Aónio diz:

    Muito bom, tudo explicado aqui.

  4. Joana Ivónia diz:

    Gostava de ouvir a opinião do Mikael Colville-Andersen sobre este video. Será que não podemos convidá-lo a escrever sobre isto? ou mesmo a fazer um vídeo resposta?

  5. Mário diz:

    O PSD com este video acabou de se colocar numa situaçao da qual ja não irá sair. Depois deste video mais vale nem apresentar um candidato e assim poupar uns Euros ao partido. A bicicleta é o futuro da mobilidade, e as vantagens são tão transversais que vai desde o crescimento económico por via da nossa indústria de bicicletas à poupança na saúde com a diminuiçao de problemas cardio-vasculares bem como a diminuiçao do stress causado pelo constante ruido dos motores de combustão.

  6. André L diz:

    Esse senhores do PSDlisboa são uns mocos, não percebem nada (mandaram o barro a parede para ver se cola…..). É a tal oposição porque sim, o dito video e a questão é de uma anormalidade que eles ainda não perceberam, nem querem perceber. As reacções a tal post no facebook, tem a sua resposta pelos cidadãos, que é reprovar tal retórica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *