António Costa foi ontem (8 de Outubro) indigitado Primeiro Ministro de Portugal.

Numa sua intervenção há cerca de um mês, defendeu uma mudança radical no paradigma da mobilidade e a revolução que as cidades terão de fazer já nos próximos anos na forma como nos deslocamos, adaptando-se à vida quotidiana sem necessidade do uso do carro e um grande investimento em verdadeiras alternativas ao transporte motorizado individual.

“As cidades levaram 50 anos a adaptar-se ao automóvel, e agora têm muito menos do que 50 anos para se adaptarem a vivermos sem o automóvel na cidade.

Porque se queremos efectivamente cumprir as metas que estão acordadas internacionalmente para a redução das emissões de CO2, isso implica uma mudança radical no paradigma da mobilidade.

E não basta só mudar a motorização do transporte individual. Porque essa transformação da motorização resolve uma parte do problema, mas mantém o problema do congestionamento das cidades … não altera o problema do congestionamento das cidades. A chave está mesmo no investimento no transporte público de qualidade que, portanto, seja uma verdadeira alternativa ao uso do transporte individual.

E isso implica um grande investimento ao longo dos próximos … eu não diria muitas décadas, diria ao longo da próxima década, uma grande revolução que as cidades vão ter que fazer na forma de se poder deslocar na cidade.”

– António Costa, Braga, 10 de Setembro de 2019.
(vídeo extraído de https://www.facebook.com/antoniolscosta/videos/2409581655776629/)

Comments are closed.