Elevador urbano para peões+ciclistas em Rendsburg, Alemanha. Imaginam a utilidade destes elevadores para ciclistas em Lisboa? (foto: 3rd Wave Cycling)

Lisboa tem assistido a um aumento considerável do número de munícipes que optam pela bicicleta como meio de transporte urbano, uma tendência que arrasta consigo importantes melhorias para a qualidade de vida de todos os que vivem e trabalham na cidade.
No entanto, há ainda muito a mudar na cidade para que esta ofereça condições apropriadas de segurança e conforto a quem queira deslocar-se de bicicleta. À medida que o número de ciclistas aumenta, aumenta também a legitimidade de exigir que a CML tenha os ciclistas em conta nas suas decisões.

Depois da instalação de um elevador no novo mercado do Chão do Loureiro, a CML veio anunciar, pela voz do seu Presidente, que está a projectar a instalação de mais dois elevadores que ligarão a Baixa ao Castelo.

Elevador do Chão do Loureiro, em Lisboa. Já construído, mas sem condições para transporte de bicicletas. Oportunidade perdida para facilitar o acesso ciclável da Baixa à Costa do Castelo. (foto: CML)

Da mesma forma que esses elevadores permitirão melhorar consideravelmente a mobilidade dos peões que deles usufruam para subirem desde a Baixa ao Castelo, o mesmo se poderia aplicar aos ciclistas.

O projectado elevador da Rua dos Fanqueiros, oportunidade aberta para permitir acesso de bicicletas, ligando Baixa à Costa do Castelo (foto: CML)

Para tal bastará que os novos elevadores sejam projectados com condições para o transporte de um número limitado de bicicletas (e.g., 1 ou 2 bicicletas). Por exemplo, assegurando uma área suficiente na cabine do elevador ou instalando de suportes para o transporte vertival de bicicletas.

O s elevadores urbanos com capacidade para transportar bicicletas permitem aos munícipes que utilizam a bicicleta atingir rapidamente zonas da cidade separadas por uma grande diferença de cotas.
Encontram-se vários exemplos de elevadores urbanos acessíveis a bicicletas em cidades de outros países e mesmo em Portugal. Como alguns exemplos, citamos os vários elevadores urbanos acessíveis a ciclistas nas cidades de Génova (Itália) e Seul (Coreia do Sul); o Elevador da Boca do Vento, em Almada; o funicular dos Guindais, no Porto.

Um dos inúmeros elevadores urbanos para peões+ciclistas em Seul, Coreia do Sul. (foto: Ross Kenney)

Tal como nestes exemplos, a dotação de condições para o transporte de bicicletas nos novos elevadores em projecto para a Baixa/Castelo permitiriam ligar a Baixa às zonas do Castelo e Graça, onde reside uma parte importante da população da cidade. Para além de melhorar a qualidade de vida dessa população, esta opção seria também uma mais valia para o ciclo-turismo na cidade e aumentaria o número de utentes dos futuros elevadores.

Deste modo, a MUBi vem solicitar à CML a satisfação das necessidades dos utilizadores de bicicleta no momento em que forem projectados os novos elevadores urbanos. Consideramos que esta medida faz parte de uma política de transportes mais aberta aos modos suaves de deslocação e à intermodalidade, os quais trazem inegáveis vantagens para toda a cidade.

(mensagem enviada ao Presidente da CML e à EMEL)

3 Responses to Lisboa: novos elevadores urbanos são uma oportunidade para uma cidade mais ciclável

  1. Pedro diz:

    Olá!
    Pegando num artigo antigo, alguém sabe se entretanto é possível levar a bicicleta nos elevadores da baixa e castelo?
    Obrigado!!

  2. joaopeixoto diz:

    Mais uma referência, sugerida por Pedro Nóbrega da Costa: http://www.donostiamovilidad.com/la-ciudad-del-peaton/transporte-vertical/

  3. Ana diz:

    Muito relevante este artigo.
    Os elevadores são realmente uma medida muito pertinente que iria melhorar bastante a mobilidade na em Lisboa de uma forma geral. Parece-me uma medida vantajosa tanto em termos turísticos como para os residentes.
    Não se podem excluir utilizadores quando se projectam obras deste tipo, porque tornar os elevadores acessíveis a mais utentes aumenta o valor da obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *